NEUROTOXIDADE DO FLÚOR E CALCIFICAÇÃO DA PINEAL 

150711_743096845761263_6076230685165518684_n

Variados estudos têm demonstrado o impacto que o flúor possui na glândula pineal, promovendo sua calcificação, atrofia e inibindo a produção dos hormônios seratonina, melatonina e pinolina. Em uma pesquisa, mais de 60% dos americanos acima de 50 anos de idade já apresentam a glândula com severas calcificações. Tais pesquisas demonstram um efeito devastador deste problema sobre a saúde da humanidade atual em todo o planeta. A maior fonte de flúor não é nem as pastas de dentes, mas a água que bebemos. Toda a água brasileira, mineral ou que vem pelos canos é obrigatoriamente fluoretada.

FOTOS: mostram imagens da glândula pineal calcificada ou de cristais nas células da pineal.

1604684_743098215761126_8600048738185943024_n 10802060_743099969094284_4483901275275769000_n 1533906_743098499094431_5843082859505347255_n 10494314_743099829094298_1403627761110363163_o

Leia mais e as referências científicas nestes links abaixo:
http://fluoride-class-action.com/wp-content/uploads/osmunson-fda-petition-review-Appendix_AA_Pineal_Gland_Damage.pdf
http://www.healthymoneyvine.com/support-files/fluoride_and_the_pineal_gland.pdf
http://www.icnr.com/articles/fluoride-deposition.html

PRIA
Sua Saúde Natural!
www.pria.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *